segunda-feira, 11 de julho de 2011

Nota de esclarecimento aos brasileiros
Nota oficial do Partido Verde
Executiva Nacional do PV
O Partido Verde e sua candidata fizeram nascer nos corações e mentes de milhões de brasileiros a idéia de uma terceira via possível, uma alternativa consistente ao quadro simplista que nos era apresentado, de um Brasil com apenas duas portas que poderiam ser abertas em direção ao futuro. Não apenas nos consolidamos como uma opção política concreta. Influenciamos a reformulação das plataformas dos dois candidatos alçados ao segundo turno das eleições presidenciais, mediante a inserção da questão moral e ambiental como tema de peso a ser considerado.

O Partido Verde e sua candidata, Marina Silva, fizeram história. A campanha que levou a causa verde para um número de brasileiros que nem nós no princípio esperávamos marcou-se pela sintonia perfeita entre o partido político e sua candidata. A luta em prol de uma sociedade equilibrada e justa do ponto de vista social e ambiental está e continuará no cerne das preocupações do Partido Verde.

Por essa luta, esforços foram empreendidos e dificuldades iniciais superadas. O Partido Verde tem como marca teses avançadas e pioneiras, que sempre abrangeram, além da questão ambiental, o apoio à luta das minorias e a defesa de temas como a união homoafetiva e a descriminalização do aborto e das drogas, entre outros. Com generosidade e respeito às diferenças, para receber Marina Silva sem quaisquer freios, estabelecemos a cláusula de consciência, que permite que filiados explicitem suas posições pessoais em relação a itens do programa partidário em face de convicções religiosas. Reconhecendo desde o início a relevância política de Marina, foi alterado, também, o número de membros da Executiva do partido, de maneira a abrir espaço a vozes diretamente ligadas à futura candidata.

Também fomos o partido que lançou o maior número de candidatos aos governos estaduais com o objetivo de consolidar a candidatura presidencial, o que dificultou o fortalecimento da nossa bancada Federal, que baixou de 15 para 14 deputados. Com olhar para o país, assumiu-se que o partido e Marina deveriam se empenhar para estar em plena convergência.

Não podemos nos furtar, todavia, a expressar nossa posição sobre a situação que gerou a polêmica em torno da possível saída de Marina Silva de nosso partido. Consideramos que estamos passando por nossa primeira grande crise de crescimento. O Partido Verde e suas lutas, entretanto, são maiores do que qualquer pessoa. Temos certeza de que ultrapassaremos os problemas atuais e sairemos fortalecidos desse processo.

Deve ser dito que não nos recusamos, em momento algum, a efetivar aperfeiçoamentos nas regras que moldam o funcionamento de nosso partido. Estão programadas atualizações programáticas e elas ocorrerão, no tempo oportuno dos verdes, e como decorrência de amplo debate interno e com a sociedade, não da imposição de grupos determinados que integram o partido. Cabe explicar que, no atual estatuto do Partido Verde, não se apresentam quaisquer óbices à participação dos filiados nos processos internos de tomada de decisão. Muito ao contrário.

A transformação dos partidos políticos, como toda construção social, necessita ser conduzida de maneira democrática e responsável. Os processos nesse sentido devem ter como base a tolerância, a abertura para negociação, a persistência, a paciência e a humildade. Não abriremos mão das discussões necessárias, francas e abertas, antes de efetivar modificações na organização e na dinâmica de nosso partido.

O Partido Verde lamenta muito essa falsa polêmica artificialmente inflada sobre a falta de democracia interna, que tem gerado distorções injustas na imprensa brasileira. Continuaremos sempre abertos para receber em nossas fileiras pessoas que entendem que a luta pelo coletivo é muito mais relevante do que a luta pelo individual. A construção da sociedade do futuro demanda trabalho árduo e permanente, que não pode prescindir de cidadãos dispostos a ajudar. Enfatizamos, contudo, que, independentemente de qualquer pessoa, o partido opta por continuar pautado por seus princípios e ideais.

Os signatários deste documento veem no Partido Verde um instrumento cuja existência só faz sentido na medida em que sirva para transformar concretamente a realidade, mediante a ampliação da democracia e da equidade social. Comprometem-se publicamente a promover amplos debates, com seus filiados e com a sociedade de forma geral, para continuar formulando e atualizando sistematicamente os posicionamentos do partido em relação aos principais temas que afetam os brasileiros.

Mantêm os seguintes compromissos:

- Preparar o partido para a atualização estatutária e programática, a ser aprovada em convenção nacional que será realizada em março de 2012;

- Mobilizar o partido para responder da forma devida aos principais temas em pauta no país, como a reforma política e a reforma tributária, assim como para enfrentar a pressão por retrocessos na legislação florestal e pela implantação de novas usinas nucleares, entre vários outros assuntos importantes que poderiam ser citados;

- Preparar o partido para as eleições municipais, estimulando candidaturas próprias, especialmente nos municípios onde houver dois turnos de votação;

- Promover o recadastramento dos filiados, simultaneamente a uma grande campanha nacional por novas filiações.


EXECUTIVA NACIONAL DO PARTIDO VERDE

sábado, 24 de julho de 2010

Filiados e Simpatizantes,


O Partido Verde de Joinville está vivendo seu melhor momento. Com muita honra e alegria aceitou o convite para encabeçar o processo eleitoral do Partido Verde em Santa Catarina. Sabemos que as dificuldades e obstáculos são gigantescos, mas contamos com a força e ajuda de todos para alcançarmos o êxito neste pleito. Por isso, convocamos todos os nossos pares, para que juntos possamos enfrentar esse desafio com garra, coragem, paixão e ousadia! Nosso objetivo é construir e contribuir na transformação da nossa sociedade para assegurar um futuro socialmente justo, economicamente viável e ecologicamente correto!

Uma excelente eleição a todos e um forte abraço!

Douglas Gonçalves

Presidente do Partido Verde Joinville

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Participe do twitaço #EuVotoMarina nesta terça (20)


A ideia surgiu da conversa entre os participantes da comunidade Marina Silva – PV do Orkut: fazer um “twitaço” – versão do “panelaço” pelo Twitter – para ajudar a promover e divulgar o nome da Marina pela Internet.
A proposta se disseminou pela rede e cada militante, simpatizante e apoiador da candidatura da Marina está convidado para dizer o porquê escolheu Marina como sua candidta à Presidência da República.
O twitaço vai acontecer ao longo de todo o dia 20, com concentração ao meio-dia e às 18h, quando ação deve acontecer de forma mais intensa. Para que todos façam parte da mobilização, a hashtag sugerida é #euvotomarina. A mensagem ficaria parecida com: “#euvotomarina porque [seu motivo]“.
Além de fazer barulho, a proposta é poder conhecer melhor outros apoiadores e o motivo pelo qual cada um aposta no projeto de Marina. Para se inspirar, aqui já existem 12 razões, agora queremos saber quais são as suas.

domingo, 13 de junho de 2010

Partido Verde homologa chapa presidencial com Marina Silva e Guilherme Leal

Em Convenção realizada nesta quinta-feira (10), o Partido Verde homologou sua chapa presidencial para as eleições 2010, com Marina Silva e Guilherme Leal. Além da chapa presidencial, o PV anunciou os candidatos a governador de oito Estados mais o Distrito Federal, que serão confirmados nas convenções estaduais que ocorrem até 30 de junho.

Foram confirmados os nomes dos seguintes candidatos a governador: Fernando Gabeira (RJ), Fabio Feldmann (SP), Luiz Bassuma (BA), Eduardo Brandão (DF), José Fernando Aparecido (MG), Sergio Xavier (PE), Paulo Salamuni (PR), Montserrat Martins (RS) e Reynaldo Moraes (SE).

Os verdes também aprovaram ainda uma moção de repudio ao relatório com alterações no Código Florestal brasileiro, apresentada nesta semana no Congresso Nacional, pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

O Presidente Nacional do PV, José Luiz Penna, afirmou que a candidatura de Marina interrompe o processo de transformação da eleição presidencial num plebiscito. leia mais

Grande estrela da festa, a Senadora Marina Silva afirmou em seu discurso que o Brasil não precisa de um Estado “provedor”, mas de um Estado “mobilizador”, “que não faça para os pobres, mas com os pobres”.

A candidata do PV afirmou que os brasileiros precisam ter “igualdade de oportunidades”. Para ela, a educação desempenha um papel fundamental nessa tarefa. “O Brasil que queremos é um Brasil que tenha uma educação de qualidade e que seja colocada como prioridade das prioridades”, afirmou. “Esse, para mim, é um compromisso visceral de vida”, disse.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

quinta-feira, 13 de maio de 2010

FICHA LIMPA

O texto abaixo é contribuição de Carlos Aggio,


Caros amigos,




A Câmara dos Deputados aprovou a Ficha Limpa! Esta é uma vitória incrível para nós e todos os brasileiros. Obrigado a todos que ajudaram a fazer este grande dia se materializar!
Quando a Ficha Limpa foi apresentada, muitos acreditavam que ela nunca iria passar. Até o presidente da Câmara, Michel Temer, disse diversas vezes que não acreditava que existia apoio político o suficiente para aprovar o projeto de lei.
No entanto, eles não esperavam a maior campanha online na história do Brasil. Com milhões de assinaturas, milhares de mensagens enviadas e de ligações feitas - nós tornamos o impossível possível, tomando controle de nossa democracia. Nós trouxemos de volta o poder político para as mãos da população.
A Ficha Limpa ainda não é lei. Ela ainda precisa passar pelo senado e depois receber a sanção presidencial- talvez vamos precisar agir novamente nas próximas semanas, mantendo a pressão para garantir que a Ficha Limpa não seja enfraquecida ou mudada.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Projeto Ficha Limpa: será que agora vai?



Quantas vezes você já ouviu a frase “O país está assim porque o povo não faz nada!”? Eu já ouvi umas 1000 vezes e me perguntei o que então podemos fazer pra mudar alguma coisa.
Confesso que muitas vezes não conseguia responder essa pergunta. Todos os dias vemos escândalos na política… É dinheiro em cueca, meia, Mensalão, Mensalinho, nepotismo, peculato, sanguessugas (escândalo das ambulâncias), desvio de dinheiro público, sonegação fiscal, negligência, imposto disso, imposto daquilo, leis nonsense… Ironicamente, de tempos em tempos, somos obrigados a colocar estes mesmos criminosos no poder.
No meio dessa bagunça toda surgiu uma luz lá no fim do túnel: o projeto de lei Ficha Limpa.

O projeto

Organizado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e com apoio de organizações como Instituto Ethos e OAB, ação se propõe a afastar das eleições candidatos que cometeram crimes sérios como desvio de verba pública, corrupção, assassinato e tráfico de drogas.
É um projeto de iniciativa popular (algo previsto na Constituição de 1988) que será votado no Congresso Nacional. Se aprovado, serão feitas modificações na lei complementar nº 64/1990 (art. 14, III, da Constituição), ampliando os critérios de inelegibilidade, especificando novos casos para quem não pode se candidatar.
A vantagem é que o político tem sua candidatura impedida apenas por ter sido denunciado, não sendo necessário esperar a conclusão do processo. Serão afastados das eleições até serem julgados. Bonito, não?
Já tivemos sucesso com uma ação popular parecida, resultando na lei 9840, pela qual vários candidatos hoje são processados devido à compra de votos (veja o trabalhão que deu pra aprovar essa lei). Agora podemos repetir a história com algo mais decisivo. É nossa chance para começarmos a realizar uma mudança na política brasileira, extirpando os elementos cancerígenos de de nosso sistema.

Link YouTube
Vídeo oficial da campanha



O abaixo assinado. Engaje-se!

Além das mais de 1 milhão de assinaturas em papel, existe um abaixo assinado online no site Avaaz. Atualmente já temos 1.904.300 assinaturas. A meta é 2 milhões de assinaturas para pressionarmos a aprovação da lei no Congresso.



Caros amigos, podemos fazer a diferença hoje! Vamos apoiar o projeto, assinando a petição, divulgando para listas de contatos de email, Twitter, Orkut, Facebook… Unidos somos fortes. Chega dessa tolerância passiva!



Mais sobre o projeto Ficha Limpa…

Vídeo da entrevista com o deputado federal Indio da Costa, esclarecendo dúvidas e explicando a dificuldade que está sendo levar o projeto para votação (por que será que não querem votar?).



Texto na íntegra do projeto



Síntese do projeto para discussão pública



• Twitter @LeiFichaLimpa



Veja aqui todos os 155 políticos na lista negra.


este Post foi uma contribuição de Carlos Aggio

quinta-feira, 22 de abril de 2010

AUSÊNCIA INJUSTIFICÁVEL



Átila Nunes (?)



O que leva um presidente com tanta aprovação popular ignorar solenemente

os desastres e catástrofes de seu país?



O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi rápido ao visitar o Chile para prestar

solidariedade às vítimas após o terremoto e o tsunami que atingiram aquele país.

Aqui, em território brasileiro, durante episódios dramáticos, não foi sequer lerdo.

Foi omisso. Ignorou cada acontecimento que enlutou as famílias brasileiras.



Foi assim em 2008, quando os catarinenses sofreram na pele os efeitos de

enchentes sucessivas que causaram centenas de mortes e deixaram mais

de 50 mil pessoas sem casa



O presidente Lula repetiu George Bush, quando este demorou quase uma semana

para se pronunciar sobre o Katrina que liquidou com Nova Orleans.

Nosso presidente só apareceu em Santa Catarina

uma semana depois, e assim mesmo, através de um rápido sobrevoo de helicóptero



Em maio do ano passado, foi a vez do Piauí e Maranhão, quando as chuvas deixaram

mais de sete mil famílias desabrigadas. Mais uma vez, o presidente não apareceu

para dar solidariedade às famílias que perderam o pouco que tinham.



Nos dois acidentes aéreos que enlutaram o Brasil, o presidente também não marcou sua presença,

nem ao menos visitou as famílias das vítimas. Em 2006, um Boeing da Gol colidiu com um jatinho,

resultando na morte de 154 passageiros. No ano seguinte, foi a vez de um avião da TAM,

que se espatifou no Aeroporto de Congonhas, vitimando 199 passageiros.



Nenhuma visita. Nem ao local, nem às famílias. Nem um só pronunciamento imediato, solidário.

Nada. No caso da TAM, aguardou um mês para receber as famílias das vítimas. Um mês!



Na entrada do ano de 2010, um temporal causou 52 mortes e a destruição de casas em Angra dos Reis.

A notícia da catástrofe correu o mundo. E mais uma vez, o presidente Lula não mostrou solidariedade.

Nada. Mais uma vez.



Enquanto isso, quase nessa mesma época, uma tempestade na França matou pouco mais de 40 habitantes.

O governo francês considerou o episódio como “desastre nacional" e o presidente Nicolas Sarkozy

visitou imediatamente as regiões afetadas.



Agora, foi a vez do Estado do Rio de Janeiro. No primeiro dia do temporal, Lula estava no Rio

para inaugurar um posto de saúde, solenidade cancelada por causa das chuvas.

Pegou então, o Boeing da Presidência da República, e decolou do Rio, deixando para trás a visão do caos.



As chuvas continuaram, entretanto. Depois de quase uma semana de desabamentos, alagamentos,

destruição, mais de 200 mortes, centenas de feridos, milhares de desabrigados,

o presidente ainda assim não apareceu.

Mais uma vez, nada de solidariedade por parte da maior autoridade do país.



A única declaração – e ainda assim irritada – foi a tentativa de negar uma constatação

do Tribunal de Contas da União de que enquanto a Bahia recebera mais de 30%

das verbas para combate às enchentes,

o Estado do Rio de Janeiro recebera menos de um por cento (mais precisamente, 0,9%).



A visita de presidentes da República nos cenários das grandes tragédias de seus países,

assim como prestar solidariedade aos familiares enlutados,

fazem parte de uma norma, quase que um ritual obrigatório em todo o mundo.

Se não por um sentimento verdadeiro de dor, pelo menos pela necessidade de sinalizar

de que o governo está presente, impedindo a sensação de abandono num momento de desespero coletivo.



Afinal, a presença da maior autoridade do país nesses momentos,

passa não apenas a percepção de o governo está atento e preocupado,

mas passa um sentimento vital, o da solidariedade.



Nós, brasileiros, normalmente pedimos muito pouco.

Precisamos de muito, mas não passamos essa impressão.

Ao contrário.

E quanto mais sofrido, mais o brasileiro rejeita o sentimento de pena.

Prefere o da solidariedade.



Como explicar essa ausência do presidente tão popular

num momento tão dramático às famílias das vítimas?

Essas mesmas vítimas

que devem ter sufragado seu nome nas urnas por duas vezes?



Os que continuam ainda debaixo daquele lixão em Niterói,

a espera do resgate de seus corpos,

pelo menos não testemunharão a ausência injustificável

daquele que foi seu ídolo político, quando vivos.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

A política nacional de resíduos sólidos


Na metade do mês de março, o Congresso Nacional foi palco de uma significativa e importante conquista para o Brasil: a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Com ela, o País finalmente se sintoniza com uma demanda crescente, em âmbito mundial, e que passa a ser tratada com a atenção que merece. A PNRS merece aplausos, já que chegou ao formato final contemplando a mais moderna abordagem relativa aos resíduos sólidos. Aliada a outras políticas nacionais, como a de saneamento, de mudanças climáticas, de meio ambiente e de educação ambiental, a PNRS é um alento que promete desencadear transformações substantivas nos modos de produção e de consumo, além da própria relação entre o ser humano e o meio ambiente. São meios para se construir uma sociedade mais ssustentável, baseada em sólidas diretrizes ambientais e socioeconômicas.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

PV confirma dez nomes para disputa nos estados


Os nomes foram confirmados pelo coordenador da pré-campanha de Marina, o vereador Alfredo Sirkis (PV)

Folhapress

Durante pré-convenção que reuniu cerca de mil pessoas em São Paulo, o PV confirmou ontem que já possui dez pré-candidatos para a disputa aos governos estaduais deste ano. A estratégia do partido é lançar o máximo de candidaturas possíveis para garantir mais exposição para a campanha da senadora e pré-candidata à Presidência da República pelo partido Marina Silva.
Os nomes foram confirmados pelo coordenador da pré-campanha de Marina, o vereador Alfredo Sirkis (PV).
São eles: Fábio Feldman (São Paulo), Fernando Gabeira (Rio de Janeiro), José Fernando Aparecido (Minas Gerais); Paulo Salamuni (Paraná), Montserrat Martins (Rio Grande do Sul); Fabiano Piovezan (Santa Catarina), Luiz Carlos Bassuma (Bahia), Reynaldo Nunes (Sergipe), Sérgio Xavier (Pernambuco) e Eduardo Brandão (Distrito Federal).
Senado - No evento, foi lançado também o nome do empresário Ricardo Young, presidente do Instituto Ethos, como pré-candidato do PV para o Senado. Marina disse que o lançamento de campanhas próprias no Estado é importante.
O desejo da senadora é que o partido tenha candidatura própria em todos os Estados, menos no Acre, onde irá apoiar o senador Tião Viana (PT). "No Acre, vou apoiar o Tião, o Tião vai apoiar a Dilma (Rousseff ) e o povo acreano vai me apoiar".
Para a senadora, "Feldman e Young sintetizam, em São Paulo, uma atuação política dentro de novos paradigmas".
Já o coordenador da pré-campanha, Alberto Sirkis, disse que a campanha de Marina quer atrair o voto das mulheres pobres e cristãs, da classe média politizada e da juventude até os 24 anos. "Nós temos que multiplicar, temos que ir nas retransmissoras locais das cadeias de televisão, no principal programa de rádio de cada região”, disse.

quarta-feira, 14 de abril de 2010


13 de abril – Dia dos Jovens


Hoje, 13 de abril, é considerado o “dia dos jovens”. Mais de um terço da população mundial é formada por jovens. Como não dizer que o jovem é o futuro do planeta?
A juventude é uma fase de transição da vida que fica entre o mundo da educação e o mundo do trabalho. É a fase em que o indivíduo busca a sua autonomia. Estimular esta autonomia é fortalecer o ideal de ser reconhecido como alguém com opinião e vez, capaz de ajudar a mudar as coisas da sociedade em que vive.
Nós jovens, precisamos entender que podemos e somos capazes de agir e influenciar nos acontecimentos políticos e sócio-culturais de nosso país.
Infelizmente, uma parte da sociedade, vê o jovem como problema. É comum associá-los à casos de doenças sexualmente transmissíveis, drogas, violência, tabagismo, álcool. Evidenciam-se os problemas e fecham-se os olhos para ver que nós somos a possível solução de diversos conflitos do futuro.
Somos nós, os jovens de hoje quem ocuparão cadeiras do governo, diretoria de grandes corporações, o mercado de trabalho de amanhã. Precisamos ter voz ativa para poder traçar o nosso futuro. Precisamos ter garantidos os nossos direitos, sabendo que é nosso dever lutar por eles.
Reivindicar o direito à saúde, segurança, lazer, à educação, ao ingresso no mercado de trabalho, é assegurar para si uma estabilidade nos seus planos profissionais e sociais.
Que a partir de hoje, ainda mais este ano, ano de eleger nossos representantes nas esferas estadual e federal, possamos nós, jovens, sermos críticos o suficiente para, nas urnas, saber escolher os candidatos comprometidos com os nossos ideais. Que possamos ir ainda mais longe. Além de escolher, cobrar depois, o que outrora fora dito, exercendo nossa cidadania, lutando por nossos direitos, na busca de uma sociedade melhor.

Muriel Machado

Secretário PV Jovem de Joinville

terça-feira, 30 de março de 2010

PV impede candidaturas de condenados pela Justiça





A Executiva Nacional do PV aprovou resolução que impede a candidatura de qualquer integrante do partido com condenação judicial definitiva (transitada em julgado). A resolução, que incorpora termos do projeto Ficha Limpa em tramitação no Congresso Nacional, foi encaminhada hoje (29) para publicação no Diário Oficial da União e é válida já para as eleições de outubro.
Para senadora Marina Silva, pré-candidata do PV à Presidência da República, a decisão demonstra coerência do partido. “Como nós trabalhamos para a aprovação do projeto Ficha Limpa no Congresso e neste blog, faz sentido que nos antecipemos já na implementação.”
Pela decisão, não serão admitidos como candidatos do PV políticos condenados, em última instância, por crimes contra a economia popular, a fé pública, a administração pública, por atos contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o meio ambiente, a saúde pública e contra a vida.
A resolução impede ainda candidaturas de políticos que tiveram suas contas relativas a funções públicas rejeitadas por irregularidade que configure ato de improbidade administrativa.
Na opinião do presidente nacional da legenda, o vereador paulistano José Luiz de França Penna, “para construir algo diferente do que está aí, precisamos de pessoas compromissadas com a ética”.

sexta-feira, 26 de março de 2010



A hora do Planeta!




Amanhã, Sábado, dia 27 de março, às 20:30 horas, pessoas, empresas, comunidade e governo são convidados a apagar suas luzes por período de uma hora para mostrar seu apoio ao combate ao aquecimento global. É chegada a hora de nós, seres humanos, despertarmos para a realidade que o aquecimento global existe e não afeta somente os outros e sim a nós mesmos. Essa iniciativa de movimento global conhecida como EARTH HOUR, foi criada pela Rede WWF no intuito de enfrentar as mudanças climáticas. Esse tipo de movimento chama muito nossa atenção no que diz respeito a mobilização mundial e a amplitude social que é gerada em prol do movimento, haja vista, o aquecimento global ser motivo de manchetes de jornais praticamente todos os dias.
Conforme descrito pela Ong WWF, o aquecimento global é resultado do lançamento excessivo de gases de efeito estufa (GEEs), sobretudo o dióxido de carbono (CO2), na atmosfera. Esses gases formam uma espécie de cobertor cada dia mais espesso que torna o planeta cada vez mais quente e não permite a saída de radiação solar.

No último relatório do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, órgão das Nações Unidas responsável por produzir informações científicas) os cientistas afirmaram que há 90% de certeza que o aumento de temperatura na Terra está sendo causado pelos homens. Sendo assim, todo movimento e manifestação realizada em prol desses movimentos é válida e essencial para assegurar um pouco de dignidade e qualidade de vida para nossas futuras gerações. O Partido Verde Joinville aderiu a este movimento, bem como sua executiva e a maioria de seus filiados. Por isso, convido você a entrar no site http://www.horadoplaneta.org.br, se cadastrar e no dia 27 fazer a sua parte, apagando as luzes por uma hora. Convide um amigo, parente, vizinho, e unidos podemos fazer a diferença e realmente mudar esse planeta. Pode-se sugerir que na hora do planeta, você faça alguma coisa divertida e criativa para passar essa uma hora sem eletricidade.

terça-feira, 23 de março de 2010

Marina Silva dispensa marqueteiro durante a campanha

Para a equipe de Marina, a imagem dela não precisa ser moldada nem maquiada e a campanha contará, entre outras coisas, com a origem humilde e a história de vida de Marina



A senadora e pré-candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva (AC), e o comando do partido decidiram que não haverá um marqueteiro durante a campanha presidencial da ex-ministra.
Para a equipe de Marina, a imagem dela não precisa ser moldada nem maquiada e a campanha contará, entre outras coisas, com a origem humilde e a história de vida de Marina. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.
Segundo a reportagem, com o início oficial a campanha, em julho, o PV pretende se limitar a contratar uma empresa que cuide da direção de arte dos programas de TV, além de assessores específicos para dar opiniões sobre imagem, figurino e tom de voz da senadora.
"Isso (dispensar um marqueteiro) não é uma decisão inocente nem surgiu pela falta de recursos. O mais forte que temos é o olho no olho da Marina com as pessoas", disse o vereador carioca Alfredo Sirkis (PV), um dos coordenadores da campanha.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Nossas águas – “O governo precisa agir com urgência”, afirma Piovezan.




Para o pré-candidato a governador pelo Partido Verde de Santa Catarina, o vereador Fabiano Piovezan, a cada dia os recursos hídricos estão cada vez mais vulneráveis e ameaçados e esta é a mensagem que deve ser reiteradamente repassada neste Dia Mundial da Água. Segundo Piovezan “mais de 5 milhões de pessoas morrem todo ano por conta de doenças relacionadas a má qualidade da água. As crianças são as mais atingidas, ou seja, 4,2 mil morrem diariamente – três a cada minuto devido a falta de saneamento”.
Com a finalidade de aumentar a consciência pública da importância da conservação dos recursos hídricos, a ONU instituiu o Dia Mundial da Agua, (22.03) cujo tema deste ano é “Água limpa para um mundo saudável”. Para o pré-candidato a governador dos Verdes “a água terá que ser o centro das atenções todos os dias do ano, pois o cenário que se apresenta é catastrófico e extremamente prejudicial aos seres humanos”.
Apesar de Santa Catarina ser privilegiada quanto aos recursos hídricos mesmo assim, segundo afirma Piovezan, os governantes até o presente momento tem se descuidado do problema que vem se agravando a cada ano em nossa região, ao ponto do aqüífero Guarani já se encontrar poluído, segundo apontam os estudos técnicos. “Todos os rios catarinenses estão poluídos e o governos estadual e federal nada fazem para conter a degradação das águas e alterar para melhor a atual situação que é bastante crítica”, enfatiza Fabiano Piovezan.